Adam's Apple | October 22, 2017

Scroll to top

Topo

Sem Comentários

A NATUREZA: PROVA INTRÍNSECA DA EXISTÊNCIA DE DEUS

A NATUREZA: PROVA INTRÍNSECA DA EXISTÊNCIA DE DEUS
Lucas Fonseca Costa

DISSE o néscio no seu coração: Não há Deus. […]. Salmos 14:1

 

O Apóstolo Paulo declara que todos os homens não possuem desculpas diante de Deus para não crerem em Sua existência. O argumento que o Apóstolo Paulo usa para basear esta afirmação é o de que todos os homens podem olhar para a criação (a natureza, os seres vivos, o universo e todas as demais coisas) e saberem que Deus criou todas estas coisas, que está escrito em Romanos 1:20-22

 

“Porque as Suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o Seu eterno poder, como a Sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles [os homens] fiquem inescusáveis [indesculpáveis]; Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos [pseudocientíficos] se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos”.

 

A afirmação do apóstolo Paulo, de que Deus criou todas as coisas e que por essa criação podemos saber que existe um Deus, pode, aparentemente, soar como “anti-científica”, porém, como realmente disse o apóstolo, a própria natureza dá embasamento científico para crermos que uma mente inteligentíssima criou todas as coisas: Deus, e a ciência mostra isto em um argumento chamado “O Ajuste Preciso do Universo” ou, ainda, “A Sintonia Fina do Universo”.

O argumento do “ajuste preciso” ou da “sintonia fina” é comentado pelo filósofo e defensor da fé cristã, William Lane Craig, da seguinte forma: “O homem veio a descobrir que o universo é precisamente ajustado para a existência de vida inteligente com uma complexidade e delicadeza que literalmente desafiam a compreensão humana.”.

É justamente esta complexidade e delicadeza a qual nos dá a prova de que existe um Deus: é impossível que um universo tão complexo, ajustado à vida e, até mesmo belo, tenha surgido do nada.

A complexidade e a delicadeza do universo se dá em que ele é como um relógio suíço: cheio de engrenagens que atuam juntas para o perfeito funcionamento do relógio. Da mesma forma atuam as chamadas Constantes da Natureza, que são as leis que regem a natureza e todo o universo, expressadas em equações matemáticas, como, por exemplo, a Lei da Gravidade. Qualquer variação, ainda que pequena, em alguma destas constantes, poderia fazer com que a vida na terra fosse impossível, bem como também o universo em si.

Um exemplo de sintonia no universo é a chamada força fraca, que opera dentro do núcleo de um átomo, e que é algo tão precisamente ajustado que uma alteração em seu valor que fosse de uma parte em  1,0 x 10 ¹ºº  (dez duotrigintilhões, isto é, o número 1 acompanhado de cem zeros – isto seria uma alteração absurdamente pequena no valor da constante) teria impedido a existência de vida no universo.

Diante de um universo tão complexo e tão bem ajustado, surge uma dúvida: por que o universo é perfeitamente ajustado e não justamente o contrário? A probabilidade maior é de que todas as coisas devessem ser caóticas, e não ajustadas. Mas, por algum motivo, elas são bem ajustadas. Criação divina? Algumas pessoas irão dizer que não, mas Davi já nos alertou sobre estas pessoas: Pela altivez do seu rosto o ímpio não busca a Deus; todas as suas cogitações são que não há Deus. Salmos 10:4.

 

A criação e a ciência apontam, inegavelmente, para a existência de Deus, por isto, tenha fé: A Verdade está do nosso lado.

 

De seu irmão em Cristo,

Lucas Fonseca Costa.

 

Enviar Comentário